Proteja sua empresa de vazamento de dados e ataques

Os ataques cibernéticos têm se tornado cada vez mais recorrentes e divulgados. Com esse tema mais amplificado e em evidência, os gestores começam a ter consciência de quão fundamental são as ferramentas de segurança cibernética para prevenir, identificar e responder às ameaças.

Porém, está ainda é uma realidade distante de muitas empresas, incluindo as lojas tanto físicas quanto virtuais. Quando tratamos de varejo, esse cenário de cibersegurança está diretamente ligado à operação e é preciso proteger as brechas para que não haja impacto nas vendas.

Por coletar e armazenar dados dos consumidores e de terceiros, como fornecedores e serviços adicionais, esse segmento do mercado torna-se visado para os ciberatacantes, que buscam oportunidades de entrar nos sistemas para capturar essas informações.

Para explicar o que é a segurança cibernética e como você pode minimizar os impactos no seu negócio, continue neste artigo. Aqui, você verá:

  1. Por dentro da segurança cibernética
  2. Cibersegurança e varejo

Por dentro da segurança cibernética

Para começar, a explicação do conceito de segurança cibernética que é o conjunto de ações para proteger os sistemas e, consequentemente, as informações que estão armazenadas em dispositivos.

Ou seja, neste mundo ultraconectado, ela é vital para que esses dados possam ser cuidados, assim como haja a identificação de potenciais brechas que podem ser a porta de entrada para a ação dos cibercriminosos no ambiente da empresa. 

Esse universo cibernético é potencializado com a entrada de novas ferramentas tecnológicas que são lançadas a cada dia, além das mudanças adquiridas nos últimos anos na rotina de trabalho, as quais acabaram viabilizando uma expansão cibernética, o que, consequentemente, traz mais riscos.

Motivados por questões principalmente financeiras, os ataques cibernéticos roubam e sequestram os dados, já que estes são os bens mais preciosos de uma organização.

 Este tema se faz ainda mais relevante com o levantamento realizado pela 4ª edição do Fortinet Cibersecurity Summit (FSC19), a qual especifica que em um intervalo de apenas 3 meses, entre março e junho de 2019, o Brasil sofreu 15 bilhões de tentativas de ataques cibernéticos.  

Por esse motivo, é indicado que haja o mínimo de ferramentas de proteção para mitigar os riscos às empresas e prevenir os ataques. De acordo com os especialistas, os tipos mais recorrentes atualmente são:

  • Backdoor- o invasor tem acesso ao sistema infectado e tem a oportunidade de assumir o controle remoto;
  • Phishing- método que se utiliza da engenharia social, aproveitando-se da confiança depositada por um usuário para roubar seus dados;
  • Spoofing- falsificação de endereços de IP, de DNS e de e-mails;
  • Ataque DDoS- baseado no ataque de negação de serviço distribuído;
  • Eavesdropping- o hacker é capaz de ter acesso a diferentes sistemas de e-mail, mensagens instantâneas e telefonia para violar a confidencialidade da vítima.

Veja mais: A relação entre segurança e experiência do cliente no e-commerce

Cibersegurança e varejo

O varejo representa cerca de dois terços do PIB brasileiro (relatório O Papel do Varejo na Economia Brasileira). Junto com o setor de comércio e serviços, representa 73% do Produto Interno Bruto, sendo responsável por 27 milhões de empregos e 80% das empresas no país.

Seu desempenho superior, movimentou R$ 1,91 trilhão apenas em 2019. E esse aumento registrado ano a ano faz com que os cibercriminosos visem o setor do varejo para as invasões, isso porque reúne dados de milhares de consumidores.

Leia: LGPD e e-commerce: como adequar a sua empresa

Conheça, a seguir, cinco medidas para adotar na sua empresa para adicionar uma camada extra de proteção de dados:

  1.  Sempre tenha um sistema Antivírus

Sabendo que 73% dos riscos cibernéticos envolvem vírus e malwares, a importância de não abrir mão de um sistema antivírus é primordial para sua empresa. Isso porque ele é capaz de suportar vários tipos de ataques- mesmo que sejam pesados ou mais agressivos.

  • Invista em segurança para cloud computing

O armazenamento em nuvem está cada vez mais em alta, e isso se deve a sua capacidade eficiente para hospedagem e sincronização de arquivos. Porém, mesmo considerado um método seguro, há métodos para deixar a proteção mais eficiente.

Dentre elas, vale verificar a reputação do provedor de armazenamento; ativar a autenticação de pelo menos 2 fatores de segurança; adotar uma política inteligente de senhas; entre outros recursos.

  • Viabilize treinamento sobre segurança da informação a todos os profissionais da sua empresa

Para que não haja tantos erros durante qualquer execução que exija interações preocupantes, os profissionais da empresa precisam estar cientes de como evitar spam ou hackers nas redes. Sendo assim, treinamentos que visam evitar abrir e-mails suspeitos, ou, até mesmo, a não utilização de dispositivos USB como pen drives, HDs e celulares, considerados não confiáveis, são importantes.

  • Preste atenção no domínio de páginas com https://

É importante compreender que, a partir do momento que uma página não contém https:// em seu início, a chance de ser algum vírus é maior. Por esse motivo, caso a página em questão não comece com o domínio acima, é aconselhável contatar a instituição por telefone e informar o ocorrido.

  • Sites seguros são sempre mais confiáveis

Parece redundante, porém, sites que tenham o selo seguro são sempre mais confiáveis. Invista as pesquisas neles! Combinar a segurança dos dados com um sistema de gestão eficiente é fundamental para que a sua empresa de varejo mantenha seus negócios. Conheça a plataforma da ONCLICK e saiba como elevar o nível da sua operação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.