Como a inteligência operacional pode melhorar a gestão financeira da sua empresa

*Por Marcel Farto, CEO da ONCLICK

O planejamento, como sabemos, é uma ação essencial para o sucesso dos negócios. Ter a consciência de onde a empresa está e para onde vai; saber o quanto se pode investir, o quanto se deve ter para garantir o fluxo de caixa e o quanto é recomendado ter em caixa, é fundamental para qualquer operação – seja grande ou pequena.

Independentemente do porte da empresa, é preciso antever, decidir e agir. Dentre as dez ações mais recomendadas por especialistas, figuram o planejamento financeiro e a tomada rápida de decisões.

Mas, como decidir de forma assertiva sem uma base de dados atualizada e transparente de toda a operação?

O primeiro passo é ter uma visão geral de todas as áreas. Entender quais são as correlações entre elas e ter informações do fluxo de vendas, finanças e estoque sempre atualizados.

Desta forma, consegue-se observar o todo, com visão clara de cada setor, para que a tomada de decisão e o planejamento sejam acertados, baseados em dados e cenários reais.

Inteligência Operacional: aliada da sua estratégia

Precisamos considerar que os dias atuais exigem operações cada vez mais inteligentes, robotizadas e centradas em dados. Isso porque os gestores são cobrados por compreender os cenários internos e externos, e a tomarem as decisões mais pertinentes no menor espaço de tempo.

Felizmente, diante deste novo formato, encontramos ferramentas que fazem esse levantamento e são capazes de entender e atender o negócio de forma eficiente. Essa integração com a tecnologia permite maior competitividade e ajuda a enfrentar momentos de instabilidade.

Em tempos de crise, por exemplo, a área mais desafiadora nas empresas é sem dúvida a financeira. Mas, com um acompanhamento de diferentes contextos e clareza sobre a operação, os líderes conseguem definir quais são os caminhos mais acertados e até vislumbrar oportunidades em meio a um cenário que pode parecer desfavorável.

Ao olhar cada pedaço do todo é possível entender onde dá para cortar gastos, onde é preciso investir e qual é a real capacidade da operação.

Sendo assim, o planejamento fica atrelado à uma série de parâmetros e indicadores, que também ajudam a identificar e construir os cenários pessimistas e otimistas, fundamentais para manter a estrutura e o funcionamento, mesmo nas situações adversas.

O ERP e a gestão inteligente de negócios

Ao utilizar um ERP, por exemplo, é possível somar ferramenta de Inteligência Operacional.

Enquanto o ERP permite a gestão integrada de empresas de todos os tipos de negócios, a Inteligência Operacional entrega uma análise do negócio em tempo real, com os indicadores de oportunidades, ameaças e o grau de eficiência.

Nesse painel interativo, consegue-se observar quais são as relações entre os resultados, onde há um problema ou uma solução para melhorar o fluxo operacional, quais são as tendências e o que considerar na hora de traçar os próximos passos.

Por isso, manter um sistema de gestão auxilia na tomada de decisões e preserva os negócios saudáveis e competitivos.

A experiência que o mundo está vivendo globalmente pela primeira vez, tem tornado obrigatória uma repaginação de algumas atividades até então tidas como paradigmas. A maneira como lidamos com a gestão financeira é uma delas.

Marcel Farto, CEO da ONCLICK, é formado em Sistemas de Informação pela Unesp e possui MBA em Gestão Empresarial pela FGV. O executivo soma 20 anos de experiência no segmento de TI, numa trajetória que mescla empreendedorismo e gestão de negócios. Começou na ONCLICK em 2012 como Diretor de Desenvolvimento, assumindo a presidência em 2014. Antes, foi fundador e CEO da Commit Consulting.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *