O que acontece quando inserimos Inteligência Operacional no ERP?

Agilidade. Essa á a palavra que rege os negócios no século 21. É preciso agilidade para entregar respostas rápidas, solucionar problemas, gerir, tomar decisões, otimizar, competir! 

Para isso, é necessário inovar constantemente a maneira como lidamos com os processos organizacionais. 

Basta olhar ao redor para perceber um efeito combinatório de múltiplas tendências se afunilando para criar novas oportunidades. A transformação digital, por exemplo, tem nos ofertado uma ampla variedade de ferramentas que agregam valor aos negócios. E nesse contexto, o ERP se mantém como o centro de um grande ecossistema de integrações para uma gestão mais inteligente, robotizada e centrada em dados.

De fato, esse é o cenário que enxergamos no horizonte e para o qual caminhamos. Nossa missão é entregar aos clientes ferramentas de gestão eficientes e que correspondam às suas demandas por mais competitividade.

O ERP do futuro é dotado de inteligência operacional

Uma maior representatividade nos negócios exige a análise rápida de dados para embasar decisões seguras. Para isso, é preciso o uso de softwares inovadores dotados de Inteligência Operacional (IO) incorporados ao ERP.

A Inteligência Operacional é um conjunto de processos suportados por ferramentas que trabalham de forma integrada com todos os setores de uma organização. Dessa forma, a direção da empresa tem visibilidade completa e recebe informações exatas e em tempo real de tudo o que ocorre.

Na prática, o ERP enquanto sistema central de gestão, se torna capaz de cruzar quaisquer tipos de informação para gerar insights relevantes que ajudarão na tomada de decisões estratégicas.

E não são apenas os gestores que se beneficiam da Inteligência Operacional acoplada ao ERP. Os funcionários, em todos os graus de hierarquia, podem utilizar as ferramentas para identificarem ou solucionarem problemas antes mesmo que eles ocorram.

Assim, quando a Inteligência Operacional é implantada e gerenciada corretamente, todo o time percebe com mais clareza as operações de negócios. Consequentemente, ocorre uma melhora no desempenho organizacional e nas receitas da empresa.

Concluindo, os sistemas gerenciais do futuro terão capacidade cada vez maior de monitorar as atividades, detectar erros, alertar sobre problemas, analisar dados, e prover soluções para quaisquer necessidades de seu negócio.

E isso já é uma realidade na ONCLICK!

Marcel Farto, CEO da ONCLICKé formado em Sistemas de Informação pela Unesp e possui MBA em Gestão Empresarial pela FGV. O executivo soma 20 anos de experiência no segmento de TI, numa trajetória que mescla empreendedorismo e gestão de negócios. Começou na ONCLICK em 2012 como Diretor de Desenvolvimento, assumindo a presidência em 2014. Antes, foi fundador e CEO da Commit Consulting.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *