5 mitos sobre marketplaces que podem atrapalhar sua operação

Os marketplaces estão em ascensão e já se tornaram uma das principais formas de vender pela internet.

78% do faturamento total das lojas virtuais brasileiras é resultado da operação de marketplaces,de acordo com relatório da ABComm.

Embora esse canal esteja se tornando cada vez mais comum, ainda existe muita desinformação. Por isso, selecionamos os cinco principais mitos sobre o tema para destrinchar e explicar por que não passam de contos acerca do marketplace.

1 – O repasse é demorado [MITO]

Na maioria dos casos, o repasse dos administradores de marketplace é rápido.

Você sabe como funciona?

Por exemplo, na Amazon, os repasses são feitos a cada quinze dias. Eles entregam um relatório que informa o período de liquidação das vendas e quais serão repassadas. Em qualquer dia do mês pode ocorrer a liberação do seu dinheiro, sendo possível monitorar diretamente pela Amazon Seller Central como valor e a data programada para os próximos depósitos.

2 – Não é possível aplicar SEO [MITO]

A possibilidade de incluir o SEO não somente é permitida, como ainda há diversas formas de implementar a análise.

Isso porque o algoritmo dos buscadores na internet reconhece as urls amigáveis, palavras-chave, alt das imagens, descrição da página, dentre outros. Desta forma, a maneira como você apresenta o seu produto no marketplace permite que haja maior visibilidade nas buscas pelos termos.

3 – Não é seguro [MITO]

As lojas que estão dentro do marketplace são sujeitas ao cumprimento de diversas exigências legais, as quais são importantes justamente para garantir uma maior segurança, tanto para os clientes quanto para a plataforma que administra.

Por não saber que as lojas devem responder a essas exigências e que estão sob constante acompanhamento, nasce a falsa crença de que o marketplace não é um local seguro.

A própria avaliação dos consumidores contribui para o aumento da credibilidade da plataforma. Afinal, a reputação das marcas depende desses feedbacks positivos e, as vendas bem-sucedidas, reverberam em sites mais confiáveis.

Em vista disso, as lojas podem optar pelo background check e a validação de documentos. Estas tratam-se de estratégias voltadas para a prevenção de eventuais danos à reputação do empreendimento que, com a automatização de processos, tornam-se ágeis, menos burocráticos e imperceptíveis para os clientes.

4 – É mais difícil e trabalhoso do que vender via e-commerce [MITO]

Vender em um marketplace, e-commerce ou loja física tem os seus desafios. No entanto, comercializar via marketplace não é o método mais trabalhoso. A percepção varia conforme o conhecimento da plataforma em que está vendendo, suas estratégias e as ferramentas auxiliadoras.

O marketplace, na realidade, pode ser um facilitador para as vendas virtuais. Ele já possui uma infraestrutura completa e pronta para uso, fazendo com que o lojista não tenha de se preocupar com todos os esforços iniciais de desenvolvimento e implantação de um site. Inclusive, a própria segurança é de responsabilidade da plataforma, restando apenas a administração dos seus fluxos de vendas.

Além disso, alguns desses shoppings online já possuem credibilidade e são altamente buscados. O que isso significa? Maior atração de consumidores! As redes varejistas recebem muitos acessos diários, o que diminui os gastos com marketing e possibilita a obtenção de mais resultados em menos tempo.

Se você quer estar em mais de um marketplace, a dica é usar um integrador de marketplaces. A padronização dos valores e controle de gestão facilita o trabalho arriscado, que é fazer uma administração manual de cada plataforma.

5 – Dispensa a necessidade de fazer o controle de finanças [MITO]

O marketplace, com certeza, tem formas de auxiliar na gestão financeira do negócio. No entanto, isso não abstém do vendedor a necessidade de um planejamento conciso e que acompanhe os índices diariamente.

A gestão financeira é a primeira capacidade que uma empresa deve ter de analisar as contas de entrada e saída das mercadorias.

Por isso, para fazer uma boa gestão, nossa dica é o ERP. Ele, junto com ferramentas de integração, ajuda a dar visibilidade aos valores de cada produto vendido, permitindo a consulta de relatórios detalhados de quanto a empresa vendeu, em volume de dinheiro, em todos os marketplaces onde está presente.

Com a ONCLICK, por exemplo, você consegue integrar a gestão da sua loja aos marketplaces. Além disso, o sistema traz toda a estrutura necessária para facilitar a gestão de vendas e aumentar a performance do seu negócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *