Como montar um e-commerce de autopeças?

O mercado de e-commerce está em constante ascensão. E a verdade é que, com o poder de compra online cada vez maior, são raros os segmentos que ainda não apostaram nesse setor, e o automotivo não ficou de fora!

Uma pesquisa realizada recentemente pela empresa alemã Statista também revelou que o número de compradores virtuais, os chamados e-shoppers, tende a alcançar 95 milhões em 2021.

Se você conseguir se especializar, ser um bom fornecedor de um tipo específico de autopeças, muito provavelmente você vai ter muito sucesso. Agora, se você for vender peças que todos vendem, peças padrão de fábrica ou peças genéricas, você vai concorrer com grandes e vai ser muito mais difícil ter sucesso.

Para ser um diferencial, hoje, é preciso se destacar e se especializar.

E, agora? Por onde devo começar?

Para começar seu e-commerce de autopeças, invista nos filtros de busca avançada, organizando os produtos por montadora, modelo do veículo e ano de fabricação.

Embora não pareça tão relevante, é um aspecto que faz toda diferença na experiência do usuário em sua loja virtual.

A partir disso, defina um estoque mínimo para cada produto. A dica é colocar um alerta para quando esse número for alcançado. Para fazer dar certo, tenha um contato frequente e saudável com seus fornecedores e, assim, seu site não ficará sem os produtos que você pretende oferecer.

Mas, qual plataforma devo usar?

Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) em 2014, do Ministério das Comunicações, mostram que o uso de celulares e dispositivos móveis para acesso à internet supera o uso de computadores para o mesmo fim.

Por isso, apostar em sites e apps que tenham um layout e mecanismo prático, versátil, objetivo e atrativo para estes dispositivos, como smartphones e tablets, fará com que o e-commerce responda bem a todos os tipos de acesso e, consequentemente, atraia mais o público.

O módulo de compras oferece uma rotina completa para realização de todas as compras da empresa. Através de processos específicos onde toda a gestão de compra (cotação, sugestão, pedido de compra e entrada de mercadorias) é automatizada e dispensa processos manuais de avaliação de faltas e digitação dos produtos, além de relatórios, senhas de acesso para o módulo e muito mais.

Na hora de escolher qual plataforma usar, é essencial verificar qual software é empregado na loja virtual. A dica é investir em um Enterprise Resource Planning ( ERP) para fazer um controle de estoque preciso.

Para quem quer vender em marketplace, um exemplo é o Mercado Livre. Os dados do próprio site apontam que em 2018 somente a categoria “Acessórios para Veículos” faturou mais de 3 bilhões de reais, o que representa em média 15% das vendas em toda a plataforma.

Então já tenho tudo que preciso?

Não! É necessário não apenas comercializar peças, mas se relacionar com os clientes e conhecer suas necessidades. Somente assim, poderá entendê-lo e atender desde o cliente mais leigo até o mais exigente.

Para isso, a equipe de marketing deve estar focada em construir conteúdos para anúncios, mídias sociais e matérias de blog, visando informar e sanar as dúvidas dos clientes para que a escolha seja sempre da peça certa.

Mas, além de diminuir o percentual de devolução de compras e insatisfação, também mostra o empenho da empresa em auxiliar ao máximo seus consumidores.

E não dá para falar de assertividade sem antes conhecer o público. Além de um site versátil e de conteúdo claro, é importante manter um relacionamento com o cliente.

A segmentação proporciona menos concorrência e mais chance de alcançar a liderança no mercado. Ao selecionar o público-alvo de seu negócio, sua divulgação por meio virtual é facilitada: busque grupos nas redes sociais, ou páginas relacionadas ao grupo para atrair o segmento de clientes que almeja e o engaje!

Mas em meio a tanta opção, como devo atuar?

  1. Engaje a equipe na pré-venda. O foco na capacitação da equipe de atendimento na pré-venda pode, com certeza, evitar problemas de compras erradas. Uma boa comunicação com a equipe te faz entender melhor as necessidades dos consumidores e incentivar os funcionários a se engajarem cada vez mais.
  2. Entenda a funcionalidade do marketplace e da propaganda. A grande questão é colocar na ponta do lápis todos investimentos e saber se a comissão paga é viável ou não para o negócio, lembrando que o custo do tráfego através da verba de propaganda e publicidade para o site próprio também não é baixo, ou seja, nem sempre é mais vantajoso vender pelo site ao invés do marketplace. A partir disso, escolha qual plataforma e mecanismos vão de encontro com o seu orçamento.
  3. Opte por parcerias. Fornecedores e transportadoras podem te ajudar no transporte de mercadorias grandes e na variedade do catálogo. É claro que quanto mais parceiros você tiver e quanto melhor forem suas negociações, mais benéfica será a gestão do seu e-commerce.
  4. Faça uma boa gestão. O planejamento financeiro auxilia na avaliação do impacto de medidas adotadas e do crescimento da empresa. Esse processo é facilitado por meio de um sistema de gestão integrado, como o ERP.
  5. Invista em tecnologia. Mesmo que a ideia de trabalhar apenas com softwares especializados seja atrativa, é necessário considerar que a formação de silos de tecnologia pode trazer complicações para a organização. Por isso, a utilização de um ERP integrado a uma ou mais aplicações específicas é mais efetivo do que apostar em soluções diversificadas que não entregam a visão completa do negócio.

E qual é a chave para um e-commerce de autopeças diferenciado?

O monitoramento é responsável justamente por evitar a maioria dos problemas que sua empresa pode ter. Assim, é possível facilitar a gestão da reputação analisando a repercussão do conteúdo disponibilizado e evitando que materiais negativos prejudiquem a sua imagem online e, consequentemente, suas vendas.

Para garantir uma ótima gestão da reputação, você precisa de um plano eficiente para todos os tipos de cenário. Em uma eventual crise é preciso muito preparo para ser capaz de agir em tempo hábil e contornar o prejuízo da melhor forma possível. Em tempos de pandemia isso torna-se ainda mais importante.

Com a ONCLICK você pode utilizar um software integrado de gestão empresarial, que faz o processo de forma automática. Além disso, é possível ter uma comunicação mais eficiente entre setores, maior controle financeiro, mais segurança para dados e documentos, entre outras vantagens.

De um lado, o consumidor precisa de um preço melhor em produtos e no serviço desejado. Do outro, o fornecedor precisa encontrar formas de diversificar seu negócio e buscar a internet como novo canal de vendas.

Uma vez que a peça desejada está na internet com boas condições de pagamento, disponibilidade e entrega ágil, a compra em si só depende de um clique.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *