Como trabalhar com e-commerce? Confira os benefícios desse segmento

Você sabe como trabalhar com e-commerce e quais são os benefícios desse modelo de negócio? Ao contrário das lojas físicas, vender online é uma forma rentável de expandir a sua marca e potencializar os seus resultados — a internet é um ótimo meio de alcançar o seu público.

Um e-commerce disponibiliza uma série de vantagens para os empreendedores, principalmente devido ao seu baixo custo de investimento. Por isso, contar com uma boa gestão é indispensável para aumentar as vendas e se destacar competitivamente no mercado.

Pensando nisso, preparamos um guia completo sobre e-commerce, explicando como ele funciona, os seus benefícios e muito mais!

O que é e-commerce?

Para entender como trabalhar com e-commerce — que, traduzido, significa comércio eletrônico —, primeiramente, é necessário entender o que ele é. Trata-se de um modelo de negócio em que são vendidos produtos e serviços que normalmente encontramos em lojas físicas, porém, de forma online.

Esse modelo de comércio possibilita usar diversos canais de vendas para fechar negócio na internet. O mais popular entre eles é a loja virtual. Além disso, existem outras formas de e-commerce, como marketplace, vendas em redes sociais e até mesmo o e-mail marketing, que pode ser usado para ofertar produtos e serviços.

Embora o uso de e-commerce seja bastante popular atualmente, é comum que as pessoas confundam o termo como sinônimo de loja virtual, o que é um grande equívoco. O correto seria dizer que, na realidade, o empreendedor constrói o seu negócio de modo digital.

Assim, independentemente do tipo de produto ou serviço comercializado, todas as transações são realizadas inteiramente no meio virtual. Isso significa que os clientes devem entrar no site da marca, escolher o produto ou serviço e realizar o pagamento online.

Existem também outros casos, como quando uma pessoa comercializa os seus produtos e serviços em sites de terceiros, em um marketplace, nas redes sociais etc. Nesse cenário, a transação ocorre da mesma forma, com a única diferença de que há a ausência de um site próprio da marca.

Como funciona?

De forma resumida, o funcionamento de um e-commerce tem como princípio os seguintes aspectos:

  • a exposição dos produtos e serviços;
  • o pagamento e a concretização da venda;
  • a entrega do produto ou serviço para o consumidor.

Dentro desse processo, existem as ações de marketing, que são essenciais para alcançar e conquistar a atenção do público e o atendimento inicial — passando por toda a logística de envio e pós-venda.

Assim, em uma loja virtual ou marketplace, as páginas funcionam como uma espécie de vitrine, anunciando e destacando os produtos e serviços da marca. Nelas, estão fotos de tudo que é vendido, como também os detalhes técnicos e as características das diversas opções para o público.

Dessa forma, o cliente pode adicionar os produtos e serviços que deseja comprar no seu carrinho e, então, continuar comprando ou seguir para o pagamento. Nesse tipo de comércio, o público precisa realizar um breve cadastro, informando alguns dados básicos, como CPF, endereço, nome completo etc.

É interessante ressaltar que existe a lei do e-commerce, que foi criada com o objetivo de regulamentar esse modelo de negócio. Por isso, é importante conhecer todos os pontos que você deve prestar atenção antes de começar a trabalhar com a ferramenta, evitando problemas com os clientes e os órgãos fiscalizadores.

Quais os benefícios?

Trabalhar com e-commerce é uma ótima oportunidade para as empresas. Essa modalidade de venda é bastante vantajosa, contando com diversos benefícios. Separamos os principais para você entender a importância desse modelo de negócio!

Envio para todo o país

Em uma loja física, os clientes precisam se deslocar até o local para consumirem as ofertas da marca. Porém, isso se torna um problema quando a empresa não tem estabelecimento em outros municípios, limitando o acesso apenas para quem mora próximo ao endereço.

Com um e-commerce, é possível quebrar a barreira da distância, já que é possível enviar as mercadorias para todo o país por meio das transportadoras ou dos serviços dos Correios. Isso facilita o aumento das vendas, já que o público alcançado é muito maior.

Facilidade para começar

Começar um novo empreendimento não é uma tarefa fácil. Entretanto, em um negócio físico, o investimento e o tempo necessários são muito maiores para que as operações comecem a funcionar a todo vapor. Assim, ao optar por um e-commerce, você consegue começar em pouquíssimas horas. Para abrir um negócio online, basta definir a plataforma para e-commerce em que você vai vender, planejar a sua vitrine e pronto!

Maiores informações sobre os produtos

A disponibilização de informações sobre os produtos em uma loja física é um ponto bastante limitado. Em uma vitrine virtual, contudo, esse cenário não é uma preocupação real — você tem a chance de detalhar todas as especificações técnicas sobre as mercadorias.

Quanto mais informações você disponibilizar, menores são as chances dos seus consumidores trocarem um produto ou reclamar sobre o seu funcionamento. Isso acaba influenciando diretamente na percepção do seu público sobre a marca no mercado, melhorando a reputação da empresa no processo.

Funcionamento em tempo integral

As lojas físicas têm um horário de funcionamento estabelecido, da mesma forma que a equipe de vendas também conta com um período de trabalho. Em um e-commerce, o seu negócio fica aberto 24 horas, possibilitando maiores oportunidades de venda, já que as suas portas nunca vão fechar.

Outra característica importante desse modelo de negócio é que o marketing da sua marca funciona em um horário parecido. Assim, você não perde a chance de realizar os seus anúncios em feriados e finais de semana, quando a sua loja estaria fechada, por exemplo.

Flexibilidade para vender

Ao comercializar em um e-commerce, as abordagens de venda podem ser de acordo com a necessidade do seu negócio. Portanto, se o seu objetivo abarcar o maior número de clientes possível, você pode montar um portfólio diversificado de produtos e serviços.

Porém, se esse não for o seu caso, também dá para focar em um nicho específico do mercado, direcionando os seus esforços em outras maneiras de melhorar a reputação da sua marca, junto a uma audiência seleta e qualificada.

Ao vender online, você tem a possibilidade de alternar entre diferentes tipos de estratégia de e-commerce, possibilitando maior flexibilidade sobre a forma como você administra o seu negócio.

Por que ter um e-commerce?

Uma das principais razões para se ter um e-commerce é justamente o seu baixo investimento inicial. As lojas virtuais exigem menos gastos, já que, nesse cenário, você não precisa se preocupar tanto com outros fatores, como manutenção e recursos humanos.

No entanto, é preciso ter em mente:

  • a necessidade de um domínio para o seu negócio;
  • uma plataforma para a sua loja — e montá-la;
  • a definição das formas de pagamento e de cadastro de usuários etc.

Mesmo que sejam diversos passos, nada se compara ao investimento de uma loja física. Além disso, ao começar a trabalhar com e-commerce, você passa a ter um acompanhamento otimizado, possibilitando analisar diversos dados importantes. Assim, você passa a ter uma visão mais clara sobre o seu estoque, a satisfação do seu público, o número de visitas ao seu site, a eficiência dos seus fornecedores, entre outros aspectos.

Contudo, como trabalhar com e-commerce envolve lidar com informações dos seus clientes, é muito importante ressaltar que o seu negócio deve ser preparado para a Lei Geral de Proteção de Dados, que entrará em vigência em agosto de 2020. Isso evita uma série de problemas e multas que podem causar sérios prejuízos ao empreendimento. Por isso, procure entender como adequar sua marca à LGPD e e-commerce!

Outro ponto fundamental sobre o motivo de você ter um e-commerce é que ele funciona como um canal democrático para inserir o seu negócio no mercado. A internet garante que negócios de pequeno e médio porte tenham maiores oportunidades na rede — algo difícil de ser conquistado em um ponto de venda físico com alta concorrência.

Para isso, basta que você tenha autoridade sobre o que pretende comercializar, planejar ações de marketing efetivas a fim de alcançar o seu público e aproveitar as inúmeras oportunidades que a internet tem para oferecer.

Quais as principais dicas de gestão do e-commerce?

Agora que você entende melhor sobre como trabalhar com e-commerce, é preciso compreender que a gestão desse modelo de negócio é uma atividade bastante complexa, envolvendo conceitos de logística, finanças, tecnologia e marketing.

Nesse sentido, para melhorar o seu sucesso online, é indispensável contar com as diversas ferramentas disponibilizadas, tanto para atrair mais clientes quanto para aumentar as vendas ou lidar com a parte administrativa e financeira com maior praticidade. Por isso, selecionamos as principais dicas de gestão de e-commerce para você conferir!

Escolha bem as ferramentas de sua plataforma de vendas

Como trabalhar com e-commerce envolve uma série de funcionalidades que não estão presentes em comércios físicos, é preciso fazer a melhor escolha sobre as ferramentas que vão ser utilizadas. Por isso, para o seu negócio funcionar bem, primeiramente é preciso definir a plataforma com mais funcionalidades essenciais a sua empresa.

Apesar de existirem planos gratuitos, como é o caso da Loja Integrada e do Shopify, com o crescimento do seu negócio, o investimento em um plano pago é a melhor forma de expandir a sua marca. Assim, é possível contar com funcionalidades essenciais, como:

  • filtro de busca mais eficaz, permitindo que os clientes achem os produtos com maior facilidade;
  • mecanismos de oferta de cross selling ou up selling;
  • integração com outras ferramentas de gestão;
  • painéis de controle que forneçam informações de inteligência para auxiliar durante o planejamento de estratégias de vendas e durante as tomadas de decisões.

Defina a melhor forma de pagamento para os seus clientes

A definição dos meios de pagamento é uma etapa fundamental da gestão do seu e-commerce. Assim, procure entender o que o seu negócio precisa e busque as melhores soluções que se encaixem nesse perfil. Dessa forma, se o seu e-commerce recebe mensalidades, por exemplo, é necessário contar com uma funcionalidade capaz de administrar pagamentos recorrentes, facilitando a sua vida e a dos seus clientes.

Agora, se você trabalha em um marketplace com outros parceiros, o ideal é contar com um sistema de split de pagamento que divida as porcentagens que vão ser pagas para cada participante do negócio. Procure escolher um meio de pagamento adequado as suas necessidades, evitando gastos desnecessários com outras opções que raramente são utilizadas.

Projete o seu crescimento financeiro

Todo tipo de negócio precisa crescer, por isso, procure estabelecer metas de faturamento. E, como essa ação é muito importante, procure ser razoável. Além disso, lembre-se de que, para expandir o seu e-commerce, é preciso fazer investimentos, seja em tecnologia, marketing ou em pessoas — tudo isso alinhado aos custos e ao orçamento disponível.

Como um sistema ERP auxilia nesse processo?

Um sistema ERP — sigla para Enterprise Resource Planning, ou sistema de gestão empresarial — é usado pelas empresas para auxiliá-las no controle e na administração dos seus dados. Ele tem como função centralizar os dados de diferentes setores de uma organização para que as informações sejam armazenadas e analisadas de forma única, retornando resultados mais precisos para o negócio.

Dessa forma, um sistema ERP pode auxiliar a sua empresa a se manter organizada em todos os seus processos. No caso de um e-commerce, ele é essencial para o andamento do negócio, desde a realização de anúncios de produtos e serviços nos canais de venda até no despacho dos pedidos.

Um dos maiores benefícios desse sistema é justamente na centralização das informações, facilitando todo o processo de análise de dados. Confira as principais funcionalidades sobre como trabalhar com e-commerce tendo o auxílio de um ERP!

Integração de outros sistemas

Os sistemas ERP são essenciais para o e-commerce, já que eles permitem realizar a integração com as plataformas de vendas e os marketplaces a fim de que eles recebam todos os pedidos realizados e sigam com o processo de despacho. Além disso, eles possibilitam a conexão com outros tipos de sistema, tornando alguns processos ainda mais práticos, como as modalidades de envio, os meios de pagamento e as ferramentas de marketing da empresa.

Otimização da gestão de pedidos

Ter uma gestão de pedidos em um único lugar é a forma mais eficiente de economizar tempo e reduzir erros, desde a inclusão até o despacho das mercadorias dos seus clientes. Por isso, a centralização e a padronização desse processo permite um controle mais eficiente da situação de cada encomenda, além de um acompanhamento mais eficiente de cada uma.

Controle de estoque mais atualizado

Contar com um inventário atualizado é indispensável para uma boa gestão de compras. Com um ERP, é possível evitar imprevistos, como vender um produto que, na realidade, está indisponível no momento.

Mais processos otimizados

O gerenciamento de um e-commerce passa por diversas etapas essenciais para o pleno funcionamento do negócio. Por isso, a otimização de processos é fundamental para que a empresa continue crescendo. O sistema ERP, nesse sentido, possibilita automatizar diversas ações, desburocratizar os processos, gerenciar pedidos e gerar notas fiscais. Ele também é capaz de agilizar as operações. Com isso, os ganhos são imensos, já que o sistema torna o gerenciamento do e-commerce muito mais simples, melhorando consideravelmente a performance do negócio.

Economia de recursos

Errar menos e contar com processos otimizados é um meio eficiente de gerar uma economia de recursos em seu e-commerce. Vale lembrar que isso não reflete apenas na questão financeira do negócio, mas também no tempo gasto. Afinal, um ERP possibilita que diversas atividades aconteçam sem a intervenção humana, permitindo aperfeiçoar a gestão de pessoas e direcionar os esforços em questões mais urgentes. Com isso, é possível aumentar o lucro, além de melhorar a capacidade de atuação da empresa — gerando uma vantagem competitiva.

Por que ter um ERP em nuvem?

Como trabalhar com e-commerce envolve menos gastos iniciais com investimento, a solução em nuvem de um ERP é a melhor escolha para pequenas e médias empresas que contam com o orçamento limitado.

A grande diferença entre o ERP local e na nuvem é que, no caso do primeiro, ele é instalado em servidores físicos próprios da empresa e administrado por uma equipe de Tecnologia da Informação (TI). Ressalta-se que isso envolve custos extras com manutenção, instalação e atualizações do sistema.

Já em relação à solução em nuvem, ela é fornecida por meio de um serviço de assinatura — também conhecido como SaaS, ou “Software as a Service”. Com isso, todos os bancos de dados ficam em um servidor providenciado pela empresa contratada, possibilitando o acesso remoto com qualquer dispositivo conectado à internet.

O fornecedor contratado, portanto, é responsável pelo suporte, manutenção e atualização do sistema, garantindo vantagens importantes para quem adquire esse tipo de serviço. O ERP na nuvem também é muito mais estável, recebendo as suas atualizações automaticamente, sem a necessidade de programá-las.

O recurso ainda possibilita menos custos de investimento, já que o valor pago é previsível ao longo do tempo. Além disso, ele garante maior segurança e mobilidade, também garantindo um diferencial competitivo. Isso porque a empresa não precisa de grandes aplicações na infraestrutura do sistema, o que redireciona estrategicamente os recursos do próprio negócio.

Por que integrar loja física e virtual?

Se o seu negócio conta com uma loja física, a integração entre ela e o e-commerce é um processo bastante importante para a sua marca. Acontece que muitas pessoas procuram um produto ou serviço na internet, para, então, comprá-los em um estabelecimento físico!

Assim, ao contar com a vantagem das lojas online, que têm um alcance superior às locais, é possível aumentar a visibilidade e a área de atuação do seu empreendimento. Outro ponto importante da integração entre os pontos de venda e o e-commerce é que, assim, é possível expandir os canais de comunicação com o público.

Dessa forma, você vai conseguir um atendimento superior para os seus clientes, fugindo dos meios convencionais de Serviços de Atendimento ao Consumidor (SAC). Além disso, o horário não vai ser um problema, já que em uma loja online é possível vender a qualquer momento do dia.

Por último, vale ressaltar que o público tem uma preferência maior sobre as marcas que têm uma presença tanto virtual quanto física no mercado. Acontece que muitos não confiam na segurança das transações online. Assim, ao disponibilizar um endereço para visita, as chances de você fechar negócio podem ser muito maiores.

Como ter uma gestão de e-commerce de sucesso?

Agora que você entendeu como trabalhar com e-commerce, é preciso saber como conquistar uma gestão de sucesso para o seu negócio. O planejamento é a primeira etapa com que se preocupar: nele são definidos diversos aspectos fundamentais para que você seja capaz de alcançar o seu público e vender.

Por isso, procure saber quem é a sua audiência, onde ela está, quais são os seus problemas e as suas dores e como os seus produtos e serviços podem ajudar. Além do mais, para ter uma loja virtual, é necessária uma plataforma adequada às necessidades do seu negócio.

Como trabalhar com e-commerce é uma atividade virtual, o design também é um ponto muito importante para a marca. Logo, ter um layout caprichado e bem elaborado, além de responsivo, permite conquistar os seus clientes logo de cara!

Você também deve ficar atento aos seus parceiros. Afinal, saber como escolher uma empresa prestadora de serviço é a melhor forma de evitar dores de cabeça. Essa ação acaba impactando diretamente na forma como os seus consumidores veem o seu negócio. Por exemplo, se os produtos demoram a chegar, mesmo que a responsabilidade seja da transportadora, a reputação da sua marca é que vai ser prejudicada.

Como a ONCLICK pode ajudar?

Agora que você sabe como trabalhar com e-commerce e os seus benefícios, é importante fechar parcerias com empresas de confiança na hora de administrar o seu negócio. A ONCLICK, por exemplo, trabalha no mercado de tecnologia com foco no desenvolvimento de soluções empresariais.

Disponibilizamos uma consultoria para e-commerce que orienta o seu negócio com soluções de inteligência e gestão adjacentes, que podem se acoplar a qualquer sistema. Além disso, contamos com uma boa variedade de sistemas ERPs ideais para cada tipo de negócio, sendo possível centralizar as informações e gerir todo o fluxo durante o processo de desenvolvimento da sua empresa.

Pronto! Com este guia sobre como trabalhar com e-commerce, você deu o seu primeiro passo em direção ao sucesso do seu negócio. Por isso, ressaltamos a importância de contar com ferramentas e sistemas de qualidade, capazes de auxiliar durante a gestão de todos os seus processos.

Gostou do conhecimento adquirido até aqui? Entre em contato com um de nossos consultores e veja como as nossas soluções podem potencializar os seus resultados!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *